fbpx
Contato: (37) 3214-8985 - Endereço: Rua do Cobre, 57, Niterói – Divinópolis MG, CEP: 35500-222 PIX para doações: CNPJ 13.414.748/0001-82

About Daniela Camaso

This author has not yet filled in any details.
So far Daniela Camaso has created 471 blog entries.

O ECTOPLASMA FOI DESCOBERTO POR PRÊMIO NOBEL

O ECTOPLASMA FOI DESCOBERTO POR PRÊMIO NOBEL O ectoplasma ou fluido vital ou ainda corpo etéreo foi descoberto pelo médico e químico francês Charles Richet, Prêmio Nobel de Medicina de 1913. Ele foi também fundador da Sociedade Metapsíquica de Londres e descobridor da anafilaxia e outras doenças. É chamado de “Apóstolo da Ciência e do Espiritismo”. O ectoplasma é muito importante nos meios espiritualistas, principalmente espíritas, pois, ele é indispensável para que ocorram as aparições de espíritos e as suas materializações, as quais não são somente vistas, mas também palpáveis, como aconteceu com as de Jesus. Trata-se de matéria muito sutil, mas que tem peso, pois, ao sair dos médiuns, é atraído pela gravidade, caindo no chão. Parece uma fumaça, pois é branco, o que lembra a espécie de fumaça que saia da Arca da Aliança dos judeus do Velho Testamento e da verdadeira sessão espírita da Transfiguração, no Novo Testamento, em que apareceram para Jesus e os apóstolos médiuns especiais e que eram sempre convidados por Jesus para seus feitos especiais: Pedro, Tiago e João. A Jesus e a estes três apóstolos apareceram os espíritos de Moisés e Elias, que tinham morrido já havia séculos. E, inclusive, Jesus até conversou com estes dois espíritos. Charles Richet e William Croques (também Prêmio Nobel de 1919) e seus demais colegas de estudo do ectoplasma, já de início, descobriram que ele tinha algumas células sem núcleo. E descobriram também que ele é húmido, frio e que parece com uma teia de aranha. E reforçamos o que já dissemos, o ectoplasma é usado pelos espíritos se manifestarem, principalmente quando eles são materializados e palpáveis. Entre outros exemplos bíblicos de espíritos de mortos se manifestarem materializados, temos o de Jesus que disse para Tomé: Ponha sua mão em meus ferimentos e veja que

2022-07-26T17:47:46+00:00julho 29th, 2022|Artigos|

AMIGOS E INIMIGOS

AMIGOS E INIMIGOS Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Passos da Vida. Lição nº 13. Página 48. O amigo é uma bênção. O inimigo, entretanto, é também um auxílio, se nos dispomos a aproveitá-lo. O companheiro enxerga os nossos acertos, estimulando-nos na construção do melhor de que sejamos capazes. O adversário identifica os nossos erros, impelindo-nos a suprimir a parte menos desejável de nossa vida. O amigo se rejubila conosco, diante de pequeninos trechos de tarefa executada. O inimigo nos aponta a extensão da obra que nos compete realizar. O companheiro nos dá força. O adversário nos mede a resistência. Quem nos estima, frequentemente categoriza nossos sonhos por serviços feitos, tão só para induzir-nos a trabalhar. Quem nos hostiliza, porém, não nos nega valor, porquanto não nos ignora e sim nos combate, reconhecendo-nos a presença em ação. Na fase deficitária da evolução que ainda nos caracteriza, precisamos do amigo que nos encoraja e do inimigo que nos observa. Sem o companheiro, estaremos sem apoio e, sem o adversário, ser-nos-á indispensável enorme elevação para não tombar em desequilíbrio. Isso porque o amigo traz a cooperação e o inimigo forma o teste. Qualquer servidor de consciência tranquila se regozija com o amparo do companheiro, mas deve igualmente honrar-se com a crítica do adversário que o ajuda na solução dos problemas de reajuste. Jesus foi peremptório em nos recomendando: "Amai os vossos inimigos". Saibamos agradecer a quem nos corrige as falhas, guardando-nos o passo em caminho melhor.

2022-07-26T17:28:46+00:00julho 26th, 2022|Artigos|

AS APARIÇÕES DE ESPÍRITOS E OS AGÊNERES

AS APARIÇÕES DE ESPÍRITOS E OS AGÊNERES Os agêneres são espíritos encarnados e desencarnados que aparecem, podendo eles, inclusive, ser materializados e palpáveis. Esse fenômeno é chamado também pelo espiritismo de emancipação, pela Igreja Católica de bilocação, fenômeno esse que aconteceu com alguns santos católicos, sendo os mais conhecidos os ocorridos com Santo Antônio de Pádua e Santo Afonso Maria de Ligório. Os cientistas de prêmio Nobel de física e química William Croques e Charles Riches e outros, também famosos como o russo Acasakov comprovaram a realidade desse fenômeno, chamado também de viagem astral.   Geralmente, os agêneres são fenômenos rápidos, mas há exceções. O sacerdote Melquisedeque da Bíblia, sem genealogia, sem pai e sem mãe, seria um agênere? Mas vamos tratar é do Anjo Rafael, sem dúvida nenhuma, um agênere, do Livro de Tobias da Bíblia Católica. Porém, antes de entrarmos no assunto, queremos deixar claro que, para a doutrina espírita, na sua parte científica, e para a Bíblia, os anjos, “aggelos” em grego, significam espíritos humanos enviados. E os demônios, “daimones” em grego, são também espíritos humanos apenas atrasados e não de outra categoria. Daí que até se diz anjos bons e anjos maus. O que os diferencia, pois, é o nível de evolução. Aliás, Deus não criaria espíritos de categoria má eles, por serem imortais, vão se tornar anjos no decorrer das eternidades, como já ensinava o grande iluminado teólogo do cristianismo primitivo Origenes, com sua tese “Apokatastase”. A Igreja Católica aceita esse fenômeno de agêneres com o nome de bilocação, mas de modo incompleto e confuso, por ela ter uma visão errada dos espíritos humanos já anjos (super evoluídos ou super adiantados) e os ainda muito atrasados que ela e uma tradição cristã passaram a chamar de demônios. Numa visão espírita, bíblica e científica, geralmente,

2022-07-10T11:12:31+00:00julho 10th, 2022|Artigos|

ATRAVÉS DA REENCARNAÇÃO

ATRAVÉS DA REENCARNAÇÃO Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Instrumentos do Tempo. Lição nº 33. Página 141. Fora melhor que não existissem na Terra pedintes e mendigos, na expectativa do agasalho e do pão. Se é justo deplorar o atraso moral do Planeta que ainda acalenta privação e necessidade, examinemos a nós mesmos, quando nos inclinamos para a ambição desvairada, e verificaremos que a penúria, através da reencarnação, é o ensinamento que nos corrige os excessos. Fora melhor não víssemos mutilados e enfermos, suplicando alívio e remédio. Se é compreensível lastimar as condições da estância física, que ainda expõe semelhantes quadros de sofrimento, observemos o pesado lastro de animalidade que conservamos no próprio ser e reconheceremos que, sem as doenças do corpo, através da reencarnação, seria quase impossível aprimorar as faculdades da alma. Fora melhor não enxergássemos crianças infelizes, suscitando angústia no lar ou piedade na via pública. Se é natural comover-nos, diante de problemas assim dolorosos, meditemos nos ódios e aversões, conflitos e contendas, que tantas vezes carregamos para além do sepulcro, transformando-nos, depois da morte, em espíritos vingativos e obsessores. E agradeceremos às Leis Divinas que nos fazem abatidos e pequeninos, através da reencarnação, entregando-nos ao amparo e ao arbítrio daqueles mesmos irmãos a quem ferimos em outras épocas, a fim de que nós, carecentes de tudo na infância, até mesmo da comiseração maternal que nos limpe e conserve o organismo indefeso, venhamos, por fim, a aprender que a Eterna Sabedoria nos ergueu para o amor imperecível na vida triunfante. Terra Bendita!... Terra que tanta vez malsinamos nos dias de infortúnio ou nos momentos de ignorância, nós te agradecemos as dores e as aflições que nos ofereces, por espólio de nossos próprios erros, e rogamos a Deus que nos fortaleça os propósitos de reajuste

2022-07-02T14:07:14+00:00julho 2nd, 2022|Artigos|

PEQUENO CURSO DE VIGILÂNCIA

PEQUENO CURSO DE VIGILÂNCIA Pelo Espírito André Luiz. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Nosso Livro. Lição nº 07. Página 25. Diante do mal, santifica teus olhos. Perante o bem, liberta a palavra. Ante a ignorância, usa o entendimento. Com os superiores, vigia teus modos. Com os subordinados, guarda os ouvidos. Na alegria, exerce a temperatura. Na dor, aprende a lição. Na abastança, não te esqueças de dar. Na escassez, não olvides o esforço próprio. Na festa, evita os lugares destacados. No círculo do sofrimento, estende mãos fraternas. Em negócios do mundo, repara os teus meios. Nos interesses da alma, não desdenhes a própria renúncia. No trabalho, observa o tempo. Na prece, vigia a atitude. Na estrada, ajuda ao companheiro. Na bênção, não te esqueças dos outros. Em público, retifica o temperamento. Em família, preserva a língua. Quando sozinho, vigia o pensamento. Cada estrela possui brilho peculiar. Cada flor tem diverso perfume. Cada criatura humana, centro de soberana inteligência, emite raios vivos dos sentimentos e propósitos que ambienta e reproduz, na intimidade de si mesma. Em razão disso, ao discípulo do Evangelho se pede vigilância, não somente para dissolver a tentação de nossa própria inferioridade, mas também para que sejamos lâmpadas ativas da Luz Imortal.

2022-06-24T22:01:27+00:00junho 24th, 2022|Artigos|

Entrega de 500 cestas básicas

O Centro Espírita Jesus de Nazaré em parceria com a SEMAS - Secretaria Municipal de Assistência Social de Divinópolis, entregou 500 cestas básicas no dia 07/05/2022 para as famílias cadastradas no Centro. Nosso agradecimento a todos os voluntários da Assistência Social e a SEMAS. Clique no link abaixo para ver 500 cestas 07-05-2022    

2022-05-10T13:11:11+00:00maio 9th, 2022|Artigos|

DIANTE DO TEMPO

DIANTE DO TEMPO Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Justiça Divina. Lição nº 82. Página 191. Reunião pública de 15-12-1961. Estudos e Dissertações em Torno da Substância Religiosa de O Céu e o Inferno de Allan Kardec. 1ª Parte, cap. V, item 5. Contempla o mundo a que voltaste, através da reencarnação, para resgatar o passado e construir o futuro. Sol que brilha, nuvem que passa, vento que ondula, terra expectante, árvore erguida, fonte que corre, fruto que alimenta e flor que perfuma utilizam a riqueza das horas para servir. Aproveita, igualmente, os minutos, para fazeres o melhor. Perdeste nobres aspirações em desenganos esmagadores; no entanto, as esperanças renascem no coração dilacerado, à maneira de rosas sobre ruínas. Perdeste créditos valiosos na insolvência passageira que te aflige o caminho; todavia, o trabalho dar-te-á recursos multiplicados para conquistas novas. Perdeste felizes ocasiões de prosperidade e alegria, à vista da calúnia com que te ferem; mas, no culto da tolerância, removerás a maledicência, demandando níveis mais altos. Perdeste familiares queridos que te largaram à solidão; no entanto, recuperá-los-ás tão logo consigas saz onar os frutos do entendimento, na esfera da própria alma. Perdeste afetos sublimes na fronteira da morte; todavia, reaverás todos eles, um dia, quando te sentires de espírito libertado, nos planos da Grande Luz. Perdeste dons preciosos, na enfermidade que te flagela; mas, o próprio corpo físico é santuário que se refaz. Observa, contudo, o que fazes do tempo e vale-te dele para instalar bondade e compreensão, discernimento e equilíbrio, em ti mesmo, porque o dia que deixas passar, vazio e inútil, é, realmente, um tesouro perdido que não mais voltará.

2022-01-08T12:39:21+00:00janeiro 10th, 2022|Artigos|

PASSANDO PELA TERRA

PASSANDO PELA TERRA Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier Livro: Calma. Lição nº 02. Página 19. Sempre útil não te esqueceres de que te encontras em estágio educativo na Terra. Jornadeando nas trilhas da evolução, não é o tempo que passa por ti, mas, inversamente, és a criatura que passa pelo tempo. Conserva a esperança em teus apetrechos de viagem. Caminha trabalhando e fazendo o bem que puderes. Aceita os companheiros do caminho, qual se mostram, sem exigir-lhes a perfeição da qual todos nos vemos ainda muito distantes. Suporta as falhas do próximo com paciência, reconhecendo que nós, os espíritos ainda vinculados à Terra, não nos achamos isentos de imperfeições. Levanta os caídos e ampara os que tropecem. Não te lamentes. Habitua-te a facear dificuldades e problemas, de ânimo firme, assimilando-lhes o ensino de que se façam portadores. Não te detenhas no passado, embora o passado deva ser uma lição inesquecível no arquivo da experiência. Desculpa, sem condições, quaisquer ofensas, sejam quais sejam, para que consigas avançar, estrada afora, livre do mal. Auxilia aos outros, quanto estiver ao teu alcance, e repete semelhante benefício, tantas vezes quantas isso te for solicitado. Não te sirvam de estorvo ao trabalho evolutivo as calamidades e provas em que te vejas, já que te reconheces passando pela Terra, a caminho da Vida Maior. Louva, agradece, abençoa e serve sempre. E não nos esqueçamos de que as nossas realizações constituem a nossa própria bagagem, onde estivermos, e nem olvidemos que das parcelas de tudo aquilo que doamos ou fazemos na Terra, teremos a justa equação na Vida Espiritual.

2022-01-08T12:36:02+00:00janeiro 8th, 2022|Artigos|

CRÔNICA DO NATAL

CRÔNICA DO NATAL Pelo Espírito Irmão X (Humberto de Campos). Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Antologia Mediúnica do Natal. Lição nº 47. Página 133. Desde a ascensão de Herodes, o Grande, que se fizera rei com o apoio dos romanos, não se falava na Palestina senão no Salvador que viria enfim... Mais forte que Moisés, mais sábio que Salomão, mais suave que David, chegaria em suntuoso carro de triunfo para estender sobre a Terra as Leis do Povo Escolhido. Por isso, judeus prestigiosos, descendentes das doze tribos, preparavam-lhe oferendas em várias nações do mundo. Velhas profecias eram lidas e comentadas, na Fenícia e na Síria, na Etiópia e no Egito. Dos confins do Mar Morto às terras de Abilena, tumultuavam notícias da suspirada reforma... E mãos hábeis preparavam com devotamento e carinho o advento do Redentor. Castiçais de ouro e prata eram burilados em Cesareia, tapetes primorosos eram tecidos em Damasco, vasos finos eram importados de Roma, perfumes raros eram trazidos de remotos rincões da Pérsia... Negociantes habituados à cobiça cediam verdadeiras fortunas ao Templo de Jerusalém, após ouvirem as predições dos sacerdotes, e filhos tostados do deserto vinham de longe trazer ao santuário da raça a contribuição espontânea com que desejavam formar nas homenagens ao Celeste Renovador. Tudo era febre de expectação e ansiedade. Palácios eram reconstruídos, pomares e vinhas surgiam cuidadosamente podados, touros e carneiros, cabras e pombos eram tratados com esmero para o regozijo esperado. Entretanto, o Emissário Divino desce ao mundo na sombra espessa da noite. Das torres e dos montes, hebreus inteligentes recolhem a grata notícia... Uma estrela estranha rutila no firmamento. O Enviado, porém, elege pequena manjedoura para seu berço de luz. Milícias angelicais rejubilam-se em pleno céu... Mas nem príncipes, nem doutores, nem sábios e nem poderosos da Terra lhe assistem

2021-12-24T00:57:03+00:00dezembro 24th, 2021|Artigos|

Bezerra de Menezes ganha nova biografia

Compartilho com você hoje a entrevista que o historiador Luciano Klein, presidente da Federação Espírita do Estado do Ceará, concedeu ao jornal Correio Fraterno para falar sobre a nova biografia que está lançando sobre Bezerra de Menezes. Foram mais de 30 anos de pesquisa sobre Bezerra e o conteúdo, reunindo documentos, fotos e informações inéditas, que estão em um lindo livro, capa dura, de quase 1.200 páginas: www.bit.ly/BezerraLucianoKlein Na entrevista você vai ficar sabendo os bastidores dessa pesquisa, o que Luciano descobriu e por que ele se interessou tanto pela história do dr. Bezerra. Certeza de que você vai gostar. Tudo o que a gente já sabe é muito pouco pra este homem que brilhou não apenas como “Médico dos Pobres”, mas como político, filósofo e jornalista: www.bit.ly/BezerraLucianoKlein Boa leitura e até a próxima, Izabel Vitusso Editora Correio Fraterno

2021-12-24T00:52:35+00:00dezembro 24th, 2021|Artigos|
Go to Top