Carta Psicografada em 28/12/2018

O novo do velho, o velho do novo.

Quando surge um sol no amanhecer, é possível perceber a nova oportunidade concebida pelo grande Criador, Deus nosso Pai. O sol é o mesmo outrora captado pelas energias necessárias para que todo ser necessitasse. No entanto, mesmo sendo o mesmo o sol, os raios que dele emanam nunca são nem serão iguais. Trata-se de novo do velho.

Quando nasce uma nova flor, embora esteja em uma nova oportunidade, trata-se de uma mesma flor que outrora germinou em solo fértil, a fim de buscar com a permissão Divina, sua evolução.

A cada amanhecer, é um novo dia.

E o Mestre Jesus, já nos ensinara por meio do Consolador Prometido, que haveriam outras oportunidades. Deus nos concedeu além de tudo novas oportunidades, de uma nova existência.

Trata-se do novo do velho.

No entanto meus irmãos, a essência do sol, a essência da flor, do dia que nasce e de cada um de nos é a mesma.

Não há nada de novo quando um sol nasce, quando um ser reencarna e busca uma nova existência.

É o velho do novo.

Nossa essência é a mesma, oriunda do Grande Tutor de todo o universo e o que Nele habita. O que ha de novo é a vontade de evoluir, de crescer e de aprender. O que há de novo é a oportunidade de fazermos de nós mesmos o que há de mais próximo do velho que há em nós: Nossa verdadeira essência.

Meus irmãos, que possamos com o novo do velho que surge, fazermos o bem, buscarmos nossa evolução baseada na caridade, pois essa é a chave para nosso caminho.

Que possamos aproveitar as novas oportunidades que nos vem todos os dias, todos os instantes de nos portarmos como verdadeiros filhos de Deus, levando o amor, a paz e a harmonia a nossos lares, a nossos amigos, irmãos e inimigos.

Que façamos desse novo ano, o nosso degrau para a evolução. Paz e Luz.

Forte e carinhoso abraço da amiga e irmã

Maria Adelaide.

Comentários

Deixe seu comentário