PEQUENINAS GRANDES DÁDIVAS

PEQUENINAS GRANDES DÁDIVAS

Pelo Espírito Emmanuel.

Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: Atenção. Lição nº 18. Página 111.

A beneficência possui uma lista de pequeninas grandes dádivas, dentre as quais mencionamos algumas que não nos será lícito esquecer:

– o auxílio, mesmo diminuto, nas tarefas socorristas;

– algumas horas de trabalho espontâneo e gratuito, na execução das boas obras;

– uma frase de esperança;

– um gesto de otimismo;

– o silêncio, perante qualquer toque de agressão;

– ouvir perguntas infelizes com paciência;

– aceitar os amigos, como são, sem exigir que nos sigam em nosso modo de ser;

– honrar os adversários com respeitoso apreço;

– calar-se para que outros falem;

– prestar serviço sem aguardar atenções;

– oferecer alguns minutos de reconforto aos doentes;

– considerar a importância dos impulsos construtivos que comecem a surgir nos principiantes da fé;

– esquecer boatos alarmantes;

– algum ato de renúncia, em benefício da paz alheia;

– apequenar-se para que outros se destaquem;

– um sorriso amigo que dissipe as nuvens da hora difícil;

– rearticular essa ou aquela informação, sempre que preciso, sem perder o espírito de gentileza;

– exercer tolerância e afabilidade, dentro de casa, na mesma disposição com que se guarda semelhantes qualidades nos encontros sociais;

– repetir as palavras “desculpa-me” e “muito obrigado”, tantas vezes quantas se fazem necessárias, nas horas do dia a dia.

Na chamada beneficência menor, estão os agentes indispensáveis à edificação da caridade, porque, em se atendendo às pequeninas grandes dádivas, é que aprenderemos a distribuir as grandes dádivas, na seara do bem, como se fossem pequeninas.

Comentários

Deixe seu comentário